A mulher e o períneo

12/11/2011

Como fazemos xixi

Filed under: Fisiologia da micção — A mulher e o períneo @ 11:33 pm

Agora que você já sabe um pouco sobre períneo, vamos começar a falar de algumas disfunções.

O primeiro tema que quero abordar aqui é a “Incontinência Urinária”. Mas pra entendermos a incontinência acho importante sabermos antes como é a continência, ou seja, antes de falar do que é anormal temos que saber o que é normal.
Na figura abaixo podemos ver a localização dos rins. O sangue que passa por ali é filtrado e o que for necessário ser excretado vai para bexiga através dos ureteres.

urinario com fonte

A bexiga funciona como um reservatório até o momento da urina ser expelida através da micção (ato de urinar). Da bexiga sai a uretra, que é canal por onde urinamos.

 

Abaixo temos uma imagem da bexiga.

bexiga urinária com fonte

É um órgão oco, com um tecido muscular chamado detrusor. Então, toda vez que você ouvir falar em contrações do detrusor saiba que se trata do músculo da bexiga. Pois é, a bexiga é um músculo, mas é daquele tipo que  não temos controle voluntário, ou seja, não temos o poder de contrair e relaxar a bexiga de forma direta quando bem entendermos. O que não quer dizer que não temos controle sobre nossa micção, senão andaríamos todos de fralda até hoje.

 

Observe na figura abaixo a uretra e ao seu redor a presença do esfíncter da uretra. Sobre esses músculos peri-uretrais nós temos controle direto.

bexiga esfincter com fonte

 

Abaixo, está uma outra visão dos músculos que estão em volta da uretra. Observe o esfíncter da uretra e os músculos do períneo. São todos músculos de controle voluntário.

esfincter da uretra com fonte

 

 

Vamos começar a pensar a respeito. A bexiga é um órgão oco, que armazena urina. Imagine esse reservatório enchendo e com uma abertura embaixo (a uretra).

 

Para ficar mais fácil entender vou associar com algo que estamos acostumados a ver.

Vamos pensar em uma bexiga de festa cheia de água. Na primeira foto ela está com um nó na ponta e assim a água tende a ficar lá dentro. Já na segunda o nó foi solto. O que vai acontecer? A água com certeza vai sair.

 

O mesmo acontece no nosso corpo. O nó da bexiga representa essa musculatura peri-uretral, que está lá fechando por baixo pra não ter escape. E quando essa musculatura relaxa, o que acontece quando vamos urinar, a urina sai. Tudo funciona por diferença de pressão. Quando a pressão de fechamento da uretra for maior que a gerada pelo líquido dentro da bexiga (lembre-se que o líquido vai tender sempre sair) vai haver continência. Quando relaxamos esses músculos a pressão de fechamento da uretra diminui e a urina vai sair.

bexigaREFbexiga2ref

 

 

Mas existe outro fator. Nós urinamos em jato, não é? Se fosse apenas relaxar a musculatura peri-uretral esse jato não ocorreria, mas sim uma espécie de gotejamento.

Acontece que quando relaxamos esses músculos ocorre uma contração reflexa da bexiga. Lembra que a bexiga é um músculo? Pois bem, a bexiga contrai de maneira a expulsar todo o conteúdo da urina.

bexiga_urinaria com fonte

 

Então, vamos juntar tudo. A urina vai sendo formada constantemente pelos rins e vai se armazenando na bexiga, que é um músculo. A bexiga tem capacidade de se distender. Dentro da bexiga existem receptores que nos dão a sensação de bexiga plena e vontade de urinar. Durante todo esse período os músculos peri-urtrais estão contraídos. Quando vamos urinar relaxamos esses músculos (voluntariamente – apesar de geralmente nem perceber) e a bexiga contrai, expulsando a urina.

 

Quando nascemos e até uma certa idade esse processo é totalmente reflexo. Por isso que os bebês usam fraldas. Eles não tem controle sobre o que está acontecendo.

A bexiga começa a encher e vai se distendendo. À medida que isso acontece os receptores que estão dentro da bexiga são estimulados e mandam informação pra uma determinada região da medula e de lá volta a informação pro esfíncter uretral relaxar e a bexiga contrair. É um arco reflexo.

 

Você provavelmente já ouviu falar desse tipo reflexo ou pode até já ter testado. É o mesmo que ocorre quando batemos com um martelinho no joelho e a perna reponde esticando. Um estímulo naquela região mandou uma informação pra medula e de lá voltou um comando pra um movimento específico. Aqui o comando é esticar a perna. No caso da bexiga o comando é relaxar a musculatura de fechamento da uretra e contrair o detrusor (músculo da bexiga). Veja que aqui em momento algum a informação vai ao cérebro e, assim, não temos atuação voluntária sobre o que está ocorrendo.

 

Chega um momento na vida que temos que encarar o pinico. Esse é um momento muito importante de aprendizagem da criança. Não dá pra usar fralda o resto da vida.

Aqui passamos a controlar esse reflexo. O cérebro começa a participar.

 

 

Tudo começa da mesma maneira. A bexiga vai enchendo e os receptores são estimulados, mandando essa informação pra medula. Só que agora, em vez de simplesmente ocorrer uma resposta reflexa direta, essa informação sobe pro cérebro, que vai mediar o reflexo.

A informação, uma vez na medula, sobre para o cérebro e é lá que ocorre a decisão de liberar ou não a continuidade do reflexo.

ascendente com foto

A criança começa a ser estimulada a prestar atenção se está com vontade de urinar e só fazer xixi quando estiver no pinico. Aprende então, após algumas falhas, a manter a musculatura peri-uretral contraída e só relaxar na hora que estiver no piniquinho, começando assim o controle da micção. Se estiver, por exemplo, brincando e sentir vontade de urinar naquele exato momento o cérebro vai mandar uma informação pra medula de que aquele não é o momento e o reflexo será inibido. No momento em que chegar ao banheiro e sentar no pinico, que é o lugar que aprendeu que pode fazer xixi, o cérebro vai enviar um comando pra medula liberar a continuidade do reflexo e o períneo relaxa, a bexiga contrai e a urina sai.

 

 

Esse controle vai ficando mais fácil com o passar do tempo, após repetição do ato.

Por isso quando nos tornamos adultos nem percebemos que estamos contraindo ou relaxando esses músculos perineais, de tanto que já fizemos isso.

Não precisamos pensar. Simplesmente fazemos!

 

 

Sei que é muita informação e talvez um pouco difícil de entender.  Vou falar mais um pouco sobre a fisiologia normal da micção no próximo post, antes de entrar na questão da incontinência. Leiam com calma e se tiverem dúvidas escrevam.

Boa semana e bom feriado a todos.

7 Comentários »

  1. Oi, Samantha
    Tudo bem?Sou amiga da Carla, que divulgou o seu blog. como adoro o tema (o.O) e sei da sua importância para nós, mulheres, vim aqui olhar.
    Muito bacana! Só tenho uma dica: mexa no visual. Do jeito que está fica difícil encontrar os primeiros posts – talvez mostrar os posts relacionados no fim dos novos seja uma boa ideia.
    Vai em frente e parabéns.
    beijo

    Comentário por Lucia Freitas — 16/11/2011 @ 3:40 pm

  2. Olá, Lucia.
    Obrigada pela visita e pela dica.
    Coloquei no menu as categorias. Embaixo de cada título tem a categoria a que aquele post pertence. Clicando lá aparecem todos os posts relacionados ao tema.
    Aproveite o blog e mais dicas serão bem vindas.
    Abraço.
    Samantha

    Comentário por A mulher e o períneo — 10/12/2011 @ 4:30 pm

  3. […] aprendemos que quando bebês o ato de urinar é reflexo, ou seja, a bexiga vai enchedo e conforme se distende manda esta informação pra medula, de […]

    Pingback por Controle da bexiga « A mulher e o períneo — 06/01/2012 @ 7:26 pm

  4. […] Vamos  associar com o que acontece na bexiga. A urina é formada constantemente pelos rins, sendo armazenada na bexiga, que neste momento é um reservatório.  Os músculos periuretrais funcionam como as comportas da hidrelétrica, necessitando ser fortes o suficiente para manter a urina lá dentro da bexiga na fase de enchimento. […]

    Pingback por Incontinência Urinária de Esforço « A mulher e o períneo — 27/02/2012 @ 11:23 am

  5. Embora sendo homem, Arquiteto, nada tenho a ver com a área médica, me interesso pelo assunto, porque o homem é uma vítima dos problemas urinários, principalmente os causados pela prostata. No entanto, gostaria de que matéria tão importante fosse complementada comtlemplando o sexo masculino, com os problemas devido ao aumento da próstata, suas causas e repercursão na micção. Abraços.
    abra

    Comentário por Nilson Tesch — 28/03/2013 @ 12:06 pm

    • Olá, Nilson.
      Obrigada por escrever. Atualmente o blog está sem atualizações, pois estou envolvida com uma pesquisa científica que me consome muito tempo. No entanto, quando eu voltar a escrever vou considerar sua sugestão.
      Abraço
      Samantha

      Comentário por A mulher e o períneo — 26/09/2013 @ 9:50 pm

  6. […] anteriormente em “Como Fazemos Xixi” e em “Controle da Bexiga” que  o ato de urinar […]

    Pingback por Incontinência Urinária por Bexiga Neurogênica | A mulher e o períneo — 26/02/2016 @ 9:15 am


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: